Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Além do Ponto Final

Além do Ponto Final

Dom | 23.08.20

Call Me By Your Name, de André Aciman

Apesar de normalmente ler os livros antes de ver o filme, com Call Me By Your Name acabei por fazer ao contrário. Vi o filme e, cerca de meio ano depois, ganhei coragem para ler o livro. Digo “coragem” porque me lembro de, na altura em que vi o filme, ficar a remoer toda a história por vários dias e saber que o livro me ia tocar ainda mais.

Call me by your name.png

 

A narrativa passa-se na Riviera italiana, nos anos 80, e é contada por Élio, filho de um professor universitário que todos os anos recebe um aluno seu durante o verão. A premissa do livro é muito simples: Élio apaixona-se por Oliver, o aluno que os pais recebem nesse verão. O que acaba por fazer o livro a obra de arte que é, na minha opinião, é o facto de Élio ser um adolescente de 17 anos, que se está a conhecer e perceber com quem se identifica e o facto de o livro ser contado por ele acaba por acrescentar muito à leitura. Sentimos que estamos constantemente a viver o conflito interior desta personagem, que, inicialmente, não consegue perceber o que sente em relação a Oliver, nem em relação à sua própria identidade sexual.

We rip out so much of ourselves to be cured of things faster than we should that we go bankrupt by the age of thirty and have less to offer each time we start with someone new. But to feel nothing so as not to feel anything - what a waste!

Acima de tudo é um livro que conta uma história de amor muito bonita. Para Élio representa o primeiro amor e a descoberta da vida sexual e para Oliver um amor intenso, que sabe que é errado, mas ao qual não consegue resistir. Podia ser um típico livro sobre um amor homossexual impossível (especialmente nos anos 80), mas não é. É um livro sobre duas pessoas que se amam verdadeiramente, sobre um amor puro, intenso e curto. Além disso, é um livro bastante sexy e, de certa forma, erótico, sem que haja propriamente uma descrição muito pormenorizada desses acontecimentos. É acima de tudo, uma narrativa onde se sente uma tensão sexual entre Élio e Oliver desde o primeiro momento.

Em comparação com o filme, acrescenta imenso à história porque, sendo Élio o narrador, conseguimos sentir os mesmos sentimentos que ele e perceber exatamente como é que lida internamente com a descoberta pessoal em que se encontra. Assim, aconselho o livro a quem nunca tenha visto o filme e também a quem já viu, porque acaba por conhecer um novo lado dos acontecimentos. Apesar disso, acho que o filme está bastante fiel ao livro e que continua a retratar bem o amor entre Élio e Oliver.

He came. He left. Nothing else had changed. I had not changed. The world hadn't changed. Yet nothing would be the same. All that remains is dreammaking and strange remembrance.

Resta-me dizer que esta foi das opiniões mais difíceis de escrever porque este livro me tocou de uma forma difícil de explicar. Fiquei dias e dias a matutar na história, apesar de ter lido o livro em 3 dias, e chorei baba e ranho quando acabei porque é uma história lindíssima, com um final triste, mas igualmente bonito. Foi um livro que me fez sentir vazia quando o acabei e se isso não é sinal de que uma história mexeu connosco, então não sei o que é.

                             

Avaliação: 10/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.