Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Além do Ponto Final

Além do Ponto Final

Dom | 30.08.20

Girl, Woman, Other, de Bernardine Evaristo

Já andava de olho neste livro há algum tempo e numa das minhas visitas à Fnac, encontrei-o em promoção e com uma capa muito mais bonita que a que conhecia e acabei por o comprar. Subiu logo para número 1 nos livros que mais queria ler em agosto e admito que até li mais rápido o anterior só para poder começar este. Quando o acabei, fiquei sem saber o que tinha achado e tive de me oferecer uns dias para refletir sobre ele antes de conseguir emitir uma opinião. Cheguei à conclusão de que todos os prémios e burburinhos criados à volta deste livro são mais que merecidos.

DSC_0011.JPG

Girl, Woman, Other está dividido em 4 capítulos, onde cada um deles nos traz a história de 3 mulheres britânicas e, na sua maioria, negras. Ficamos então a conhecer 12 mulheres, todas elas com vivências bastante diferentes, mas cujas vidas se entrelaçam de uma forma engenhosamente bem construída. Em cada personagem que conhecemos, são-nos também apresentadas pessoas na sua vida, às quais não prestamos muita atenção, até nos encontrarmos com a descrição da vida delas uns capítulos depois. A primeira mulher com que nos deparamos é Amma, mulher negra e lésbica que criou o seu teatro independente e, ao fim de vários anos, vê uma peça sua no National Theater. A seguir conhecemos Yaz, filha de Amma (através de inseminação artificial com Ronald, professor e homossexual) e universitária, que se depara com todo um novo mundo de descoberta. Por fim, conhecemos Dominique, melhor amiga de Amma, que partiu para os Estados Unidos para viver com o seu grande amor, que acaba por evoluir para uma relação tóxica.

Bibi fired off, of course feminism isn't about manhating! it's about women's liberation, equal rights and freedom from limiting expactations, you need to think for yourself instead of parroting the patriarchy, time to grow up, Megan! 

Bernardine Evaristo traz-nos uma descrição da vida britânica menos conhecida. Conhecemos mulheres imigrantes de vários países africanos e percebemos todos os obstáculos pelos quais passaram quando chegaram a Inglaterra, ou pelos quais continuam a passar. Percebemos os preconceitos que viveram e histórias surpreendentes de superação, conhecemos famílias do mais ao menos tradicional possível. Além disso, é incrível a forma como esta obra está escrita e construída. As personagens secundárias de um capítulo passam a ser as principais de outros e isso faz com que percebamos a razão das suas atitudes, por mais absurdas que nos parecessem inicialmente.

É um livro que aborda diversos temas muito discutidos hoje em dia, tais como racismo, homossexualidade, identidade sexual, feminismo, violação, relações amorosas, entre muitos outros. Tem a capacidade de nos fazer pensar sobre o funcionamento da sociedade, sobre o que levou à sua evolução até aos dias de hoje, sobre como somos influenciados pelo ambiente em que crescemos, sobre tanta coisa…

I let her know she's an apologist for the patriarchy and complicit in a system that oppresses all woman
She says human beings are complex
I tell her not to patronize me

Sem dúvida que aconselho este livro a qualquer pessoa. Aviso já que a escrita da autora é diferente e que pode ser difícil entrar no ritmo, mas sem dúvida que vale a pena o esforço. É uma obra de ficção que quase podia não ser, porque aborda temas nada ficcionais. Dou comigo a pensar várias vezes em personagens ou situações descritas no livro e acho que não senti que me fazia pensar tanto quando o li, mas agora que o tempo vai passando, percebo a forma como me impactou. Resumindo e concluindo, aconselho totalmente este livro e esta leitura 🤗

Quem já leu, o que tem a dizer? Ficaram rendidos como eu?

                          

Avaliação: 8,5/10

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Filipa

    01.09.20

    Vale muito a pena!! Depois quero saber o que achaste 😊
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.