Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Além do Ponto Final

Além do Ponto Final

Qua | 19.08.20

O Amor nos Tempos de Cólera, de Gabriel García Márquez

Ofereceram-me este livro nos anos e, como estava muito curiosa para conhecer, finalmente, Gabriel García Márquez, decidi que ia ser a minha primeira leitura do mês de agosto. Admito que estava muito entusiasmada, pessoas próximas já tinham lido e, por isso, tinha as expectativas um pouco altas. A verdade é que esperava algum realismo mágico, tão conhecido traço da escrita deste autor, e não o encontrei, antes pelo contrário. Apesar de saber que, provavelmente, acabo por ter uma unpopular opinion não gostei muito de O Amor em Tempos de Cólera e vou ter que esperar uns tempos antes de voltar a pegar em García Márquez.

Amor nos Tempos de Colera.JPG

O livro traz-nos a história de Florentino Ariza, um jovem telégrafo romântico que se apaixona à primeira vista por Fermina Daza, uma rapariga de uma beleza inabalável. Florentino apaixona-se por Fermina quando vai entregar uma carta ao seu pai, e, a partir daí, começa numa tarefa infinita de a conquistar. Trocam cartas por uns anos, enquanto são adolescentes, mas Fermina nunca chega a apaixonar-se por Florentino e, mais tarde, acaba por casar-se com Urbino Juvenal, um jovem médico conceituado da cidade, com quem fica casada por vários anos. O livro começa com a morte do Doutor Juvenal e percebemos que Florentino Ariza esperou “cinquenta anos, nove meses e 4 dias” para conquistar Fermina. Ao longo do livro, vamos percebendo que este amor por Fermina sempre foi o que moveu a vida de Florentino, que passou por doenças e subiu na vida por querer dar uma vida boa a esta mulher.

Era ainda demasiado jovem para saber que a memória do coração elimina as más recordações e exalta as boas e que, graças a esse artifício, conseguimos suportar o passado

Somos levados nesta história de amor por parte de Florentino, enquanto viajamos pela América Latina do final do século XIX e conhecemos o impacto da cólera nestes países. É um livro que nos fala sobre amor: amor nas relações conjugais (e extraconjugais), amor quando se é mais velho, amor na viuvez, amor doentio, entre outros. Temos ainda, a descrição de alguns comportamentos reprováveis por parte de homens em relação a mulheres que talvez fossem normais na altura da narrativa, mas que atualmente, não seriam aceitáveis, ou relatos de pedofilia e prostituição. Suponho que, neste livro, a ausência de realismo mágico deu lugar ao realismo como forma de crítica social à realidade latino-americana dessa época.

O problema da vida pública é aprender a dominar o terror ; o problema da vida conjugal é aprender a dominar o tédio

Achei o livro bastante parado e não gostei propriamente da história em si. Sei que é uma opinião que a maioria das pessoas não partilha, mas dei por mim a ter dúvidas se o amor de Florentino por Fermina era realmente amor ou se era apenas uma obsessão. Florentino segue Fermina em todas as aparições públicas com o marido e vive toda a vida à espera da morte Doutor Juvenal, para poder, finalmente, conquistá-la. Não chega a ter uma relação estável ao longo de toda a vida, porque não quer ser “infiel” a Fermina e, inclusivamente, trata as mulheres com que se relaciona de uma forma indigna. Fiquei na dúvida se estava perante uma história de amor bonita ou perante um amor doentio e preocupante.

Dito isto, concluo que foi um livro que não gostei por aí além, mas sei que a maioria das pessoas adora García Márquez. Alguns livros dão para umas pessoas e não dão para outras, suponho que tenha sido o caso. Alguém que já tenha lido algo deste autor que me diga se partilhou da mesma opinião ou se os outros livros são melhores?

                         

Avaliação: 6/10

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.