Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Além do Ponto Final

Além do Ponto Final

Qua | 05.08.20

O Jogo do Anjo, Carlos Ruiz Zafón

Decidi ler o livro O Jogo do Anjo, de Carlos Ruiz Zafón, depois de saber a triste notícia de que este incrível autor nos tinha abandonado. Já tinha lido A Sombra do Vento, quando era muito mais nova e tinha gostado tanto que se tornou um dos meus livros favoritos de sempre. Sem dúvida que é um livro ao qual, eventualmente, vou ter de voltar, mas decidi prestar a minha homenagem lendo o segundo livro da saga do Cemitério dos Livros Esquecidos, O Jogo do Anjo.

O Jogo do Anjo.JPG

Apesar de ser posterior a A Sombra do Vento, passa-se antes da narrativa do primeiro livro, levando-nos a uma Barcelona dos anos 20, onde conhecemos a personagem principal, David Martín, um jovem jornalista que pretende seguir uma carreira de escritor. Após fazer sucesso a escrever pequenas histórias no jornal, acaba por arranjar uma editora e ver os seus livros publicados.

Cada livro tem uma alma, a alma de quem o tinha escrito e a alma de quem o tinha lido e sonhado com ele.

Depois de uns anos a escrever e publicar livros, David conhece um misterioso editor francês, Andreas Corelli (uma personagem parecida com o diabo), que lhe faz uma oferta de trabalho igualmente misteriosa. David acaba por aceitar a proposta de Corelli, mas percebe que a recompensa associada ao trabalho pedido não se sobrepõe às implicações que este lhe traz. É nesta fase que o escritor começa a investigar o mundo à volta do seu estranho editor e começa a perceber que acabou por entrar numa trama enigmática e perigosa.

A justiça é uma questão de perspectiva, não um valor universal.

No fundo, é um livro bastante estimulante, onde somos levados a um ambiente de fantasia, cheio de twists e imprevistos, que acabam por nos levar a um final inesperado e com várias interpretações possíveis. Não senti a magia que me lembro de sentir ao ler A Sombra do Vento, embora isso possa ser influenciado pela fase da vida em que li o livro. Também pode ser causado por uma evolução da escrita do autor, que acaba por criar uma história muito mais adulta e sombria que a que conhecemos anteriormente.

Continuam-me a faltar os outros dois livros desta saga, O Prisioneiro do Céu e O Labirinto dos Espíritos, mas não tenho dúvidas que voltarei aos livros deste autor, que nos leva sempre para um ambiente mágico e cheio de mistérios. O Jogo do Anjo acaba por introduzir algumas das personagens principais do livro A Sombra do Vento, entre elas o Sr. Sempere e o seu filho, que têm um lugar central no resto da saga.

Para quem nunca leu Carlos Ruiz Zafón, aconselho a 100% começarem pelo livro A Sombra do Vento, que apaixona qualquer um e tem a capacidade de nos apaixonar ainda mais pela leitura e pelos livros, mesmo aquelas pessoas que, por norma, não gostam assim tanto de ler.

No geral, acho que tinha as expectativas muito altas, devido à experiência passada com o primeiro livro da saga e, talvez por isso, não tenha gostado tanto este livro. É impossível desligarmo-nos do volume anterior e isso acaba por fazer com que estejamos numa comparação constante, que pode ser bastante injusta. De qualquer das formas, continua a ser um excelente livro e recomendo muito a sua leitura.

Quem já leu Carlos Ruiz Zafón, qual é o vosso livro favorito?

          

Avaliação: 7/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.